13 Jun

No espetáculo com entrada gratuita, Susan Williams e Jennifer Heemstra mostrarão um programa com árias de óperas e hits de musicais. Sopranos brasileiras e artistas plásticos também participarão da apresentação

Nesta semana, a série de concertos Sextas Musicais leva ao palco do CTJ Hall, na Casa Thomas Jefferson da SEP SUL 706/906, o espetáculo Shattering the Glass – Power Hits of Opera and Art Song, com a soprano Susan Williams e a pianista Jennifer Heemstra, ambas norte-americanas, e as participações especiais das sopranos brasileiras Manuela Korossy e Isabel Quintana. Excepcionalmente, a apresentação será na quarta-feira (15), às 20h, em decorrência do feriado de Corpus Christi. A entrada é gratuita.

A apresentação contará ainda com os artistas plásticos Wallace Silva e Souza Maria, que vão criar desenhos inspirados nas canções, fazendo do concerto uma integração entre artes plásticas e música.

O espetáculo terá público presencial, seguindo todos os protocolos das autoridades de saúde. E a transmissão ao vivo pelo YouTube do centro binacional, que tem o apoio da Embaixada dos EUA na realização de seus eventos culturais, será mantida em todos espetáculos. Dessa forma, esse patrimônio de belas apresentações musicais permanecerá disponível online. 

O programa deste recital inclui árias de óperas e hits de musicais na potência vocal das cantoras. As duas peças inaugurais, da compositora afro-americana Rosephanye Powell, são inspiradas na pandemia mundial da covid-19 e nos episódios de abuso, violência e agressões contra descendentes africanos. 

São canções no estilo spirituals, tipo de música gospel intimamente associada ao povo afro-americano que fora escravizado no sul dos Estados Unidos. A pandemia inspirou a compositora também a escrever outra peça, Healing, e dedicá-la à memória das vítimas. Essa canção é inspirada no spiritual There is a Balm in Gileard. O programa inclui, também, canções e árias em inglês, francês, alemão e italiano. 

As artistas

Susan Williams, soprano norte-americana,  cumpre intensa agenda de apresentações nos Estados Unidos e em todo o mundo, representando papéis principais em produções operísticas e apresentações solo como a realizada da Cantata nº 51 de J.S.Bach com a Tuscaloosa Symphony, nos EUA. Na Índia e em Cuba, realizou numerosas apresentações, participações em festivais de música, ministrou palestras e deu aulas. 

Na Flórida (EUA), foi a solista em apresentações do Requiem de Mozart frente ao Master Chorale of South Florida, da 4ª Sinfonia de Mahler com a Frost Symphony Orchestra e da Valsa Liebeslieder de Brahms no Miami’s Mainly Mozart Festival. 

Susan realizou apresentações de sucesso frente à Duke Symphony Orchestra interpretando Despina em Cosi fan tutte; Gretel em Hansel and Gretel; Barbarina em Le nozze di Figaro; e Sophie em trechos de O Cavaleiro da Rosa de Richard Strauss. 

Susan se graduou na Birmingham-Southern College, concluiu Mestrado na University of Akron e Doutorado em Música no Cleveland Institute of Music. Em 2013, participou de um prestigiado programa acadêmico especial na renomada Vanderbilt University com grandes mestres e, pelo seu destaque, foi nomeada professora assistente de Voz na Universidade do Alabama, onde leciona Pedagogia da Voz e Laboratório de Voz. 

Susan atua na direção do Opera Theatre da Universidade do Alabama, onde tem dirigido importantes e desafiadoras produções acadêmicas e operísticas. Antes de ingressar na Universidade do Alabama, a Dra. Williams lecionava na Universidade de Miami Frost School of Music. O interesse acadêmico da Dra. Williams inclui os sistemas de movimento do corpo e o uso da anatomia virtual para melhorar o aprendizado dos alunos em estúdio. Escreveu artigos publicados sobre esse tema, que podem ser encontrados no Journal of Singing. Em 2001, Susan iniciou a prática do yoga. Em 2014, recebeu o certificado de instrutora de yoga da Samhita Retreat em Koh Samui, Tailândia. 

Jennifer Heemstra, pianista norte-americana, laureada com o prêmio Michigan State Young Alumni, é mestre em Música em Piano Performance pelo Cleveland Institute of Music, e se graduou em Música, com honras, na Michigan State University. 

Jennifer é uma pianista e empreendedora que se dedicou a projetos sociais na Índia e outros países com apresentações para mais de 65 mil pessoas, entre crianças e adultos, onde a música erudita não é acessível para essas populações em risco social. Ela é a fundadora do Kolkata Classics Trust in India, que oferece serviços de saúde gratuitos para mulheres vitimas do tráfico humano, educação infantil e música erudita. 

Em 2017, Jennifer fundou a Pitch Pipe Foundation, uma ONG com sede nos EUA por meio da qual organiza e promove ações e eventos com o objetivo de ajudar os veteranos de guerra em todo o país. Heemstra recebeu a premiação Secretary of State Award for Outstanding Volunteerism Abroad das mãos do Secretário de Estado John Kerry. 

Jennifer tem compaixão e zelo para ajudar os necessitados por meio de ações e produções para as quais ela recruta músicos de alta performance para serem voluntários em todo o mundo em colaborações com artistas locais. Os concertos realizados pela Kolkata Classics e o Pitch Pipe promovem o entretenimento, a educação ao mesmo tempo em que alertam para as necessidades críticas, o tráfico humano e o resgate da dignidade dos veteranos de guerra. 

Durante os sete anos em que atuou em Cleveland, Jennifer Heemstra ministrou palestras e acompanhou mais de 350 apresentações, colaborando com orquestras, óperas e concertos. Em Roma, Itália, lecionou na American Overseas School of Rome e produziu musicais na John Cabot University. 

Ela é membro da Music Teachers National Association, do College Music Society e foi delegada para o II Congresso Mundial contra a Exploração Sexual de Mulheres em Deli, Índia. Atualmente, Jennifer Heemstra mora em Brasília, onde dá continuidade aos seus projetos e realiza colaborações e projetos sociais e artísticos locais. 

Manuela Tomaz Korossy, soprano, realiza participação especial nesta apresentação. Manuela iniciou seus estudos em música em 2005, em um curso de extensão da Universidade de Brasília, e logo ingressou na Escola de Música de Brasília para estudar piano erudito, também participando de atividades de canto coral. Após se graduar no curso básico de piano erudito, iniciou seus estudos em Canto Erudito pela mesma instituição. 

Em 2017, Manuela ingressou no Bacharelado em Canto pela Universidade de Brasília e, em 2018, se tornou aluna do professor Franklin Sagredo Martins (Brasil-Bélgica). Durante seus estudos, teve a oportunidade de fazer masterclasses com cantores de renome nacional e internacional, como a Mezzo Edineia Oliveira (SP-Brasil) e a Soprano Rachel Willis Sorensen (EUA), além de atuar como solista, por duas vezes, junto à Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Cláudio Santoro. Em 2021, ingressou no curso de bacharelado em Voz na Juilliard School of Music, em Nova York (EUA), onde irá concluir seus estudos musicais.

Isabel Quintela, soprano, possui mestrado em Performance Vocal pela Univesidade do Missouri, Columbia, Estados Unidos. Formou-se em licenciatura em música  pela Universidade de Brasília e em Canto Erudito pela Escola de Música de Brasília. Atuou nos papéis de Alice, na ópera Falstaff; Pamina, em A Flauta Mágica; Servilia, em Clemenza di Tito; Barbarina, em Le nozze di Figaro e como a Mãe na ópera natalina Amahl and the Night Visitors. Como solista, performou peças como Gott ist mein König; The Armed Man; Messiah; Carmina Burana; Leçons de Tenèbre;  Magnifcat de C.P.E Bach e outras.

A Casa Thomas Jefferson e Brasília

A história da Casa Thomas Jefferson se mistura com a de Brasília. O centro binacional, entidade sem fins lucrativos, foi criado na capital federal para contribuir para o desenvolvimento dos habitantes por meio de experiências singulares em cultura e educação. Idealizada desde a inauguração da cidade por um grupo formado por brasileiros e norte-americanos, iniciou as suas atividades em 1963, modestamente, em salas comerciais na Quadra 510 da W3 Sul e segue fiel ao seu estatuto e compromisso com a sociedade.

A série Sextas Musicais destaca-se no cenário de Brasília e do Brasil e pode ser considerada um patrimônio imaterial da capital por sua contribuição à sociedade, às instituições e à comunidade artística. A excelência em todas as áreas em que a Casa Thomas Jefferson adquiriu ao longode seis décadas e que agora é expandida para outras cidades no Brasil deve ser considerada, com legitimidade, típica e oriunda de Brasília para o Brasil.

Sobre as Sextas Musicais

As Sextas Musicais são um tradicional evento de Brasília. Desde 1987, a Casa Thomas Jefferson realiza esses concertos gratuitos e com classificação indicativa livre, mantendo-se fiel à missão de conectar e transformar vidas através de gerações por meio de experiências singulares.

Desde 2020, com a pandemia do novo coronavírus, a Casa Thomas Jefferson adaptou as apresentações para o formato on live streaming. Com produção requintada, qualidade de captação e transmissão de som e imagem, as Sextas Musicais demonstram o compromisso e o respeito do centro binacional com os artistas profissionais da música que dedicam suas vidas ao estudo e à performance musical e ao público.

Serviço

Evento: Recital de Canto e piano, presencial e live streaming

Shattering the Glass – Power Hits of Opera and Art Song

Susan Williams, soprano, e Jennifer Heemstra, pianista.

Wallace Silva e Souza Maria, artistas plásticos

Participação especial: Manuela Korossy e Isabel Quintela, sopranos 

Data: 15 de junho, quarta-feira

Horário: 20 horas

Local: CTJ HALL - Casa Thomas Jefferson, na  SEP SUL 706/906

Com público presencial e também transmissão ao vivo no canal da Casa Thomas Jefferson no YouTube 


INFORMAÇÕES PARA A IMPRENSA

Bruna K Marques

TEL: 61.99648-0448

EIXOS COMUNICAÇÃO INTEGRADA

E-MAIL: contato@eixoscomunicacao.com

www.eixoscomunicacao.com.br 

Comentários
* O e-mail não será publicado no site.